MT: Várzea Grande discute criação de dois parques naturais

MT: Várzea Grande discute criação de dois parques naturais


O Conselho Municipal do Meio Ambiente de Várzea Grande (Condema) se reúne no próximo dia 2 de fevereiro, a partir das 14h30, na sede da secretaria para entre as discussões, apresentar a possibilidade de criação do Parque Natural ‘Flor do Ipê’, que hoje é conhecido como Parque Ecológico Noise de Curvo, e está localizado na região do Carrapicho, próximo a ponte Sérgio Motta, em Várzea Grande - MT. Completam a pauta do encontro a discussão sobre a recategorização do Parque Ecológico Tanque do Fancho de Área de Proteção Ambiental (APA) para Parque Natural Municipal, a criação de legislação para inclusão de novas atividades passíveis de licenciamento no Município e alteração de unidade de medida inserida na resolução Consema 85/2014.

A secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável de Várzea Grande (SMMADR/VG) deu início, junto à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), à tratativas para a criação do Parque Natural Flor do Ipê, que hoje é conhecido como Parque Ecológico Noise de Curvo, na região do Carrapicho, próximo a ponte Sérgio Motta, em Várzea Grande. Como explica a secretária municipal, Helen Farias Ferreira, com a mudança, a cidade ganharia sua primeira unidade de conservação, o que amplia a infraestrutura do local, bem como a importância dele para o ecossistema da região.

Helen destaca que o Parque Natural passará a ser uma fonte incentivo, via arrecadação de recursos pelo ICMS Ecológico, o que vai contribuir para as ações de manutenção do espaço. “Vai ser um recurso que ajudará na conservação desse local rico em diversidade e que também contribuirá com o desenvolvimento de Várzea Grande, cidade que possui atualmente poucas opções de lazer aos moradores”. Como destaca a secretária, a área tem vocação para a visitação ecológica, “não pode ser ocupada por atividades de impacto ambiental”. A intenção é que a oficialização do Parque Natural Flor do Ipê saia em fevereiro. “Município e Estado estão sintonizados e trabalhando para isso acontecer o mais breve possível”, frisa Helen.

O Parque com área total de 19 hectares, dos quais 4 hectares são de trilhas suspensas dentro da mata, o que possibilita uma contemplação diferente do que se vê em outros parques na Grande Cuiabá. No Parque é possível fazer a contemplação de diversas espécies de plantas nativas da extinta várzea, árvores, flores e toda a fauna silvestre, como diversas espécies de pássaros e mamíferos de pequeno porte (macacos, esquilos e tamanduá-mirim).

POR FOLHAMAX •   4 FEVEREIRO, 2016

Economia Sustentável


Newsletter