Telhados Verdes e Energia Solar

Telhados Verdes e Energia Solar

A capital da França, Paris, adotou uma medida que pode ser um grande passo na direção da sustentabilidade: uma lei em que os prédios comerciais tenham telhados verdes ou placas solares.

Os telhados verdes são fabricados com plantas e ajudam a aumentar a umidade do ar, sendo um belo auxílio em cidades secas e sem verde. Entre suas principais vantagens, destaca-se que os telhados verdes retêm a água das chuvas e filtram partículas suspensas no ar, como fuligem. Por outro lado, as placas solares funcionam como painéis que produzem energia através da absorção dos raios do sol. Elas podem ser aplicadas em qualquer lugar.

Uma outra questão bastante discutida é a de que produzir o próprio alimento, parece ser a solução para diversos problemas: erradicar a fome, produzir alimentos de qualidade e livre de agrotóxicos, trazer o campo para dentro das cidades e elevar a qualidade de vida das pessoas, diminuir os efeitos do aquecimento global, como as ilhas de calor nas grandes cidades, oferecer abrigo e alimento para fauna, servir de isolante acústico e térmico para residências e escritórios, entre outros benefícios.

Para que a ação realmente atinja todos os objetivos, seria necessário que todos os países aderissem a esta ideia. Imagine só se o telhado de cada prédio comercial no Brasil fosse repleto de arbustos, gramas e até plantações. A França já deu o primeiro passo.

Nos EUA, a moda é o novo modelo de comunidade planejada, com fazendas planejadas chamadas de “agrihoods”. Estes empreendimentos residenciais têm como diferencial não os inúteis e dispendiosos campos de golfes, mas fazendas comunitárias de agroecologia.

A energia solar, também já é bastante utilizada, em todo o mundo: Alemanha, Espanha e Emirados Árabes, Estados Unidos, Grécia, Japão já investem pesado no setor da sustentabilidade.

O Brasil, também caminha nesta direção, paredes e telhados verdes estão sendo implantados com mais frequência em prédios e casas das grandes cidades. Há um projeto de Lei sendo discutido, na Câmara de São Paulo, sobre a obrigatoriedade da implantação de áreas verdes, ou áreas permeáveis nos novos empreendimentos imobiliários, por meio de jardins no solo, ou suspensos, como os da França.

O painel fotovoltaico que é o mais comum, converte energia solar em energia elétrica, ainda é pouco utilizado aqui, assim como a energia eólica tem sido menosprezada nas políticas públicas do setor energético. A energia solar no Brasil só é acessível para poucos, pois o custo para a aquisição e implantação deste sistema, ainda é muito elevado, mesmo assim, a cidade de Tabocas do Brejo Velho, na Bahia, vai receber a maior instalação de usina de energia solar da América Latina. O projeto começou a ser implementado em dezembro de 2015, estima-se que terá capacidade de produzir 500 GW por ano. O projeto que começou a ser implementado em dezembro passado deve começar a gerar energia em meados de 2017.

 

Economia Sustentável


Newsletter