Conheça o Criatório Conservacionista da Green Farm

Conheça o Criatório Conservacionista da Green Farm

O Criatório Conservacionista de Animais Silvestres da Green Farm CO2 Free - C.C.A.S., foi criado com o objetivo de recepcionar, tratar, reabilitar, reproduzir e reintroduzir na natureza espécies silvestres em risco de extinção. O local, também mantém animais impossibilitados de serem reintroduzidos na natureza.

 

A maioria dos animais recebidos pela Green Farm, são tratados, reabilitados e devolvidos para a natureza, como vimos esta semana o caso da onça pardaque foi capturada pelo Corpo de Bombeiros e pela Polícia Militar, dentro de uma residência na cidade de Naviraí. O animal foi recebido, avaliado e hospedado pela Green Farm e na semana passada ganhou a liberdade.A estrutura do C.C.A.S. é formada por dois prédios com 2.000 m² de área construída. Em um local distante 500 m dos demais, existe um outro prédio com 100 m² e cinco divisões, desenvolvido especialmente para a recepção e a quarentena dos animais.  O local conta ainda com uma sala de atendimento / clínica e uma ampla cozinha.

 

Possui um viveiro central de 250 m2 com 7,5 m de altura, destinado ao aprendizado de voo de filhotes nascidos no criadouro e para reabilitação das aves adultas recebidas por apreensão, pela Polícia Florestal.

 

   
 
 






 




 

O empreendimento ainda conta com uma área de 5.000 m² destinada a criação de jacarés de papo amarelo, que estão extintos na região. Muitos jacarés nascidos na Green Farm já habitam os rios da região.  A Green Farm mantém 10 animais como matrizes para reprodução, em um local cercado.
No empreendimento também são criados peixes para repovoamento dos rios. Em 2014 foram soltos 550 mil peixes das espécies Pacu e Piau.
Outros animais são mantidos com finalidade de reprodução assistida e repovoamento da região, como um casal de Mutum de Penacho, seis Antas e sete Pacas. Este ano, nasceu na Green Farm o primeiro filhote de Mutum de Penacho. A espécie está totalmente extinta na região e a Green Farm pretende reintroduzir na natureza muitos animais nascidos no C.C.A.S. Duas Antas, ambos machos, também nasceram na Green Farm, um em 2013 e outro em 2014.

 

    
 
 






 




 

Mas, alguns animais são mantidos pela Green Farm, sem a chance de reprodução assistida ou de reintrodução na natureza. Conheça a triste história destes animais e saiba como eles vivem hoje no C.C.A.S.: 

 
 MACACO PREGO (Cebus apella) – Chico
 
 

 

Chico, como é chamado pelos tratadores da Green Farm, foi resgatado pela Polícia Florestal do Mato Grosso do Sul. O animal foi agredido à pauladas por moradores de um vilarejo e teve o braço amputado pela violência dos golpes. Chico foi operado e reabilitado e hoje vive na Green Farm, aos cuidados do Médico Veterinário Dr. Luiz Samartano e dos demais funcionários do empreendimento. Foi um longo período até que Chico voltasse a confiar em pessoas.
 
Veja o Macaquinho Chico ao vivo - Clique aqui


 

Onça Parda (Puma concolor) – Julieta

 

Julieta foi resgatada ainda filhote, sua história é bastante triste, pois ela foi encontrada com sua mãe e outros dois irmãos em uma queima de cana-de-açúcar, prática comum na região.  A mãe e os irmãos não resistiram e vieram a óbito. Julieta sofreu ferimentos gravissimos, teve que passar por um longo período de tratamento. Durante este tempo, ela se acostumou aos tratadores e veterinários, que trocavam seus curativos diariamente. Por ter crescido em cativeiro ela não sabe identificar presas de caça, como capivaras, pacas e outros animais. Caso seja solta, pode atacar qualquer ser vivo, como o gado, animais domésticos e inclusive o ser humano. “Por não ter medo de pessoas, ela poderia se aproximar demais e acabar sendo morta”, disse Marcelo Mammana, Diretor da Green Farm. 
 

Embora recuperada, as cicatrizes das queimaduras serão visíveis para o resto da vida de Julieta.
 

Julieta vive hoje com a Onça macho, da mesma espécie, Romeu. Ele foi mantido desde filhote como animal de estimação por uma família da região.Depois de resgatado virou companheiro inseparável de Julieta. Na hora da alimentação do casal, Romeu se preocupa em alimentar Julieta, só depois de ver a companheira satisfeita ele faz sua refeição.




 

Acompanhe o dia a dia das onças mantidas pela Green Farm, ao vivo: clique aqui



Onça Pintada (Panthera onca) – Diogo

 

Diogo foi encontrado filhotinho, vagando sozinho à beira de uma estrada, por uma família de ribeirinhos da amazônia. Acredita-se que sua mãe tenha sido atropelada ou morta por algum fazendeiro da região. Ele foi tratado e cresceu, sendo criado como um animal doméstico, mantido dentro de uma caixa de madeira, só foi resgatado pela Polícia Florestal com dois anos de idade. O resultado disso o impede de retornar para a natureza, pois Diogo é manso com qualquer pessoa, nunca aprendeu a caçar e se for solto na natureza pode atacar animais domésticos, gado, ou ser morto por se aproximar demais de pessoas. 

Por ter sido criado por dois anos dentro de uma caixa, Diogo teve problemas de crescimento, atrofia muscular, principalmente por falta de sol e exercícios. Hoje na Green farm, ele vive em um enorme recinto, com locais para escalar, nadar e pescar, área coberta e área aberta com gramado. Recuperou em grande parte sua mobilidade e é incentivado diariamente a “praticar exercícios”. Diogo adora pescar! 


Área coberta e área aberta do recinto de Diogo


 













 

Acompanhe o dia a dia das onças mantidas pela Green Farm, ao vivo: clique aqui 


Raposa do Campo (Lycalopex vetulus) – Foguinho

 

Foguinho foi resgatado ainda filhote, depois de ter sido agredido por um macho adulto da mesma espécie. Na briga, ele sofreu uma fratura na bacia, passou por longo período de tratamento e por fisioterapia, mas não se recuperou totalmente. 

Com dificuldades de locomoção, Foguinho nunca mais voltará a viver em no seu habitat natural, pois é incapaz de caçar para se alimentar, ou de defender-se em uma outra briga, fato de ocorrência comum, em disputas por territórios e fêmeas.


 

O Projeto C.C.A.S. tem como principal objetivo a recuperação e a soltura de animais silvestres que normalmente são resgatados das mãos de traficantes de animais, armadilhas de caçadores, ou que são mantidos ilegalmente como animais domésticos. Muitos têm a sorte de voltar a viver na natureza, como foi o caso da onça parda, solta recentemente na reserva Green Farm e de inúmeros outros, de várias espécies de aves, répteis, mamíferos, peixes e anfíbios, que são soltos todos os anos pelo belíssimo Projeto. A Green Farm convida representantes das empresas integrantes do Projeto para participarem da soltura dos animais, que normalmente são programadas.
 

 

Veja a reportagem da soltura da onça parda – clique aqui

 

Abaixo imagens de outros animais que foram soltos na área preservada pela Green Farm.


 










 










 

 

















 


Por Veridiana Aguiar - Gestora Ambiental - ARISP  
Imagens: Green Farm CO2 Free

Economia Sustentável


Newsletter